<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d1683737356227611907\x26blogName\x3drulote\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://rulote.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://rulote.blogspot.com/\x26vt\x3d-1687760607276517664', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡ 25.6.12

Duelo a três

Na próxima quarta-feira, na Poloniucrânia, a equipa portuguesa (formada por 11 jogadores e 12 penteados) irá defrontar, em simultâneo, duas equipas: a selecção espanhola (que reúne 4 jogadores torturados tacticamente por José Mourinho, um jogador que poderia ali não estar, mais as duas pernas do emigrante Silva) e a selecção catalã (constituída por 5 jogadores que nunca na vida pronunciaram a palavra "Espanha" na presença das suas sagradas famílias). A distribuição do tempo de posse de bola será a seguinte: Portugal 31%, Espanha 12%, Catalunha 57%. Faça chuva ou faça sol, às 19:45 GMT do dia 27 de Junho de 2012, milhões de pessoas apaixonadas pelo jogo e gente que em princípio não mas que nestas alturas, sim senhora, vamos lá, encontrar-se-ão em cafés, bares, ruas, esplanadas e assoalhadas várias, com o intuito de assistir ao embate entre uma equipa (Portugal) que não tem nem nunca teve ponta-de-lança, e outra equipa (selecção catalã) cuja missão na Terra consiste em utilizar todas as geometrias disponíveis no futebol sem balizas, até que a população mundial entenda como é mal gasto o dinheiro que os clubes e federações desviam para pagar os salários e prémios dos ponta-de-lança, uma quantia que poderia muito bem ser convertida em bombinhas de mau cheiro lançadas sobre a Praça Cibeles. Podemos assim dizer que, apesar da rivalidade, a selecção catalã construiu, ao longo dos últimos anos, o corpo teórico que justifica e valida a existência da selecção portuguesa, como se nos tikitassem a todo o instante: "Nelsón Oliveira ou Hugo Almeida? Não se preocupem com isso." Já a selecção espanhola subirá ao relvado apenas para assegurar a módica parcela de faltas desnecessárias que serão necessárias para nos levar à vitória efectiva ou moral.

1 Comments:

Blogger Johnny Guitar said...

A vitória moral será da Academia do Sporting.

25 de junho de 2012 às 16:34  

Enviar um comentário

<< Home