<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d1683737356227611907\x26blogName\x3drulote\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://rulote.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://rulote.blogspot.com/\x26vt\x3d-1687760607276517664', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡ 4.9.12

Sob a calçada, o mercado

Se eu fosse um magnata russo ou um sheik do Catar com o dinheiro necessário para comprar um clube de futebol profissional e almoçar bem - e tudo indica que não seja nenhuma dessas coisas - gostava de juntar, no mesmo ataque, Cavani, Falcão e Jovetic, três jogadores que têm sempre a imaginação alinhada com a baliza e que nunca limpam os pés antes de entrar na grande-área. Foi algo que me ocorreu hoje, enquanto almoçava apressadamente e mal, e o tempo parecia óptimo para me transformar num magnata russo ou num sheik do Catar. Estou um pouco cansado dos duelos ao pôr-do-sol entre Ronaldo e Messi, e ainda mais da paciência infinita de Xavi e Iniesta, enquanto catalogam todos os buracos na defesa contrária (embora goste muito de todos eles, na saúde e na doença, na alegria e na tristeza).

2 Comments:

Blogger C.e.C said...

Fica a dúvida, sendo um magnata ou um sheik, e de almoço o quê?

15 de outubro de 2012 às 14:10  
Blogger Daniel said...

Por exemplo, e sem abusar muito: um belo animal de terra ou mar, resgatado directamente à natureza, arroz malandro, sossego e o melhor dos vinhos.

15 de outubro de 2012 às 23:18  

Enviar um comentário

<< Home